platformas-ecommerce

E-commerce: Qual a melhor plataforma?

Esta é uma dúvida ETERNA e que gera discussões diárias em grupos de empreendedores. O objetivo deste artigo é expor as minhas impressões sobre as quatro plataformas que já utilizei (ou utilizo até hoje) com base unicamente na minha experiência:

  • Loja Integrada;
  • Box Loja;
  • Woocommerce;
  • Shopify;

Lembrando que o objetivo aqui não é tratar do negócio em si, se vale a pena, se dá lucro ou ainda de aspectos contábeis, como impostos, emissão de NF e/ou repatriação de dinheiro de vendas em dólar. Na dúvida, fale com seu contador. Vamos nos restringir à análise das plataformas, ok?

Vamos lá!

Loja Integrada (versão gratuita)

e-commerce-fiat-uno

Das plataformas disponíveis, é como o Fiat Uno 96. Ele é um bom carro para quem nunca dirigiu na vida, com manutenção simples e barata (quase como um Fusca), mas dá bastante problema e deixa a desejar em vários aspectos do dia a dia.

É geralmente a plataforma de “start” de todos que querem começar no mundo do e-commerce, justamente porque possui um plano gratuito com limitações, mas que permite realmente você sair do zero a zero sem precisar investir em plataforma. Como tudo nesta vida, possui seus prós e contras de estar no plano gratuito. A seguir conto a minha história:

Comecei nela atraído pelo plano grátis justamente porque precisava de um MVP, precisava testar minha ideia e meu mercado, e não queria/podia investir em mensalidade de plataforma apenas para esse teste. O que eu não esperava de forma alguma é que logo no primeiro dia da minha empreitada fosse dar tão certo e literalmente “bombar”: foram mais de 40 pedidos em um único dia de “lançamento da loja”, o que serviu perfeitamente como teste de stress de todo o meu modelo de negócio.

O problema foi que, por mais que eu tivesse passado os três-seis meses anteriores estudando persona, público-alvo, nicho, produtos, ofertas irresistíveis e tudo conforme deve ser feito, eu fiz o teste fim a fim, a jornada do consumidor na loja, e não me atentei para os maiores problemas da plataforma Loja Integrada no plano grátis para o meu negócio: a falta do checkout transparente com o PagSeguro e a solução adotada por eles para “redirecionamento” para o pagamento.

Explicando…

Ao realizar uma compra, o cliente recebe nesta plataforma uma mensagem VERDE GIGANTE informando “pedido concluído com sucesso” e um tempo de espera elevado para redirecionar automaticamente para o pagamento junto ao PagSeguro.

O resultado?

Mais de 40 vendas perdidas no primeiro dia de loja porque os clientes, quando recebiam a mensagem de “sucesso”, fechavam a aba/janela do navegador sem de fato concluir o pagamento do pedido. O que me resultou em um retrabalho enorme de recuperação de vendas entrando em contato com cada um dos clientes e, no final, só consegui recuperar três vendas.

Identificando esse problema, eu tinha duas alternativas: ou migrar para o plano pago da plataforma, ou migrar para outra plataforma. A partir dessa tomada de decisão, eu passei a prestar mais atenção aos requisitos técnicos das plataformas, seus bugs, problemas e seu suporte, e encontrei milhares de reclamações de todos os tipos sobre a Loja Integrada em vários canais diferentes na internet. Foi aí que tomei a decisão de migrar para outra plataforma, pois não podia perder tempo com suporte: meus anúncios estavam com as melhores métricas que já obtive na vida e de forma crescente. Se eu parasse, poderia não conseguir novamente escalar como estava acontecendo.

Tudo isso aconteceu no dia 1 da minha primeira loja virtual, e obviamente a decisão de migrar para outra plataforma rendeu uma madrugada inteira recriando a loja em outra plataforma com todas as devidas configurações e produtos.

Hoje, após algum tempo, conheço pessoas que não reclamam da LI, conheço outras com experiências também ruins. Mas, enfim, ela não atendeu às minhas necessidades.

Box Loja

e-commerce-GOL-G3

É o Gol G3 anos 2000, pau para toda obra, manutenção barata, mas que tem seus vícios de marca insuportáveis que, toda vez que aparecem, te deixam com vontade absurda de trocar de carro.

Conheci esta plataforma por meio de um amigo e durante a noite do primeiro dia de trabalho pesquisei bastante sobre ela e não vi muitos problemas sendo relatados sem solução e/ou sem o devido suporte. Fora que o valor da mensalidade inicial dela na época era R$ 20,00 para até 150 produtos. Eu já havia validado parcialmente meu público e produtos e tinha plena consciência que esse valor era irrisório, diante do potencial de faturamento e lucro da loja. Então, optei por esta plataforma já pensando que poderia acontecer uma nova migração em médio prazo, se necessário.

A Box Loja é uma plataforma leve, robusta e bem simples para iniciar. Eu concluo que atende perfeitamente quem está começando e quer testar e validar sua ideia, com investimento baixo. Possui checkout transparente e a maioria das configurações das grandes plataformas do mercado: fretes, formas de pagamento alternativas (como depósito bancário), integrações com Correios e plataformas de pagamento (eu utilizo PagSeguro, conforme já citei antes).

Nas primeiras três semanas de loja, tive mais de 400 pedidos, e a plataforma suportou bem, até que comecei a encontrar um problema chato que me tirou noites de sono: a integração com o PagSeguro.

Explicando…

Aconteciam problemas de integração junto ao PagSeguro bem “básicos”, mas o que mais me impactou era, por exemplo, pedido pago no PagSeguro e na plataforma não atualizava, ficando sempre “pagamento pendente”. Isso gerava um transtorno absurdo, pois ao utilizar somente a plataforma para a gestão da loja, não dava andamento nos pedidos, postagem nos Correios etc., e perdia os prazos estimados junto aos clientes, gerando várias reclamações e retrabalho no pós-venda.

Esse problema de integração nunca foi solucionado, apesar dos tickets abertos (pelo menos comigo). Muitos colegas de e-commerce citavam que o problema era geral e que ocorre em todas as plataformas, outros diziam que o problema, na verdade, era o PagSeguro. O fato é que eu tinha um problema e a única solução foi criar uma planilha Excel em paralelo e diariamente exportar os pedidos da plataforma da loja e exportar os pedidos no PagSeguro, para então poder realizar um “batimento” e atualizar manualmente.

Foram dois meses nesse processo árduo e trabalhoso e, como era intermitente, nunca nem o suporte da plataforma descobriu o problema, não sei como está funcionando hoje, pois já migrei esta loja para o Woocommerce, que resolveu este e outros probleminhas, mas gerou outros (se leu até aqui, já deve ter ficado claro que não existe plataforma perfeita né?).

Woocommerce

e-commerce-corolla-2008

É o Corolla 2008 do avô, estável, completo, personalizável, confiável, mas que tem seus probleminhas de suspensão aqui e outros probleminhas ali, e você vai sempre pensar duas vezes se vai trocá-lo por outro ou aturá-lo mais um tempo.

É um plug-in para WordPress, que transforma a plataforma em uma plataforma de e-commerce completa (ou quase).

Hoje possuo duas lojas em Woocommerce e posso garantir que ele atende perfeitamente a todas as minhas necessidades, com os devidos plug-ins, claro, e com um volume de 500 pedidos mensais em cada loja, em média. Pense que tal qual é o WordPress (totalmente customizável), é o Woocommerce. Com alguns plug-ins, você supre, por exemplo, a “falta” do CPF/CNPJ no checkout que no padrão não possui. O mesmo vale para a integração com o PagSeguro, que permite o checkout transparente e também, até hoje, nunca tive problemas de integração.

O maior ponto negativo desta plataforma, também por experiência própria, é quanto às atualizações do próprio WordPress, dos temas e dos plug-ins.

Explicando…

Por exemplo, recentemente, eu possuía a licença de um tema que só me permitia utilizá-lo até a sua versão 2.0, homologada apenas para WordPress 4.7 e uma versão do Woocommerce que não me recordo no momento. Eu esqueci o site configurado atualizando automaticamente a versão do WordPress e, por consequência, logo após a atualização, o checkout da loja parou de funcionar e eu só identifiquei alguns dias depois (“Nossa, tem alguns dias que não vendemos nada nessa loja. O que será?”), quando refiz a jornada do consumidor na loja.

A solução?

Comprar a licença estendida do tema (custo) 3.0 que estava homologada com a nova versão 4.8 do WordPress e adeus problemas: no mesmo dia, duas novas vendas de ticket alto (carrinhos abandonados) recuperadas.

Resumindo, utilizando WordPress + Woocommerce, você precisa necessariamente de conhecimento técnico para lidar com essas questões de sistemas. O suporte aqui é você (a não ser que contrate um desenvolvedor para isso). Precisará, como boas práticas, manter sempre uma cópia da sua loja em funcionamento em outro servidor ou até mesmo em seu computador local, para testar as novas atualizações de plataforma, temas e plug-ins ANTES de atualizar a loja e evitar perder suas vendas por questões técnicas.

Além disso, precisará contratar sua própria hospedagem, cuidar e gerenciar os certificados de segurança (https), que são imprescindíveis para e-commerce, manter seu site sempre com alto nível de segurança, pois estarão trafegando ali dados pessoais e financeiros de clientes. Afinal, a responsabilidade pela segurança destes dados é sua, mesmo que não sejam armazenados, por exemplo, dados do cartão de crédito.

Shopify

 

e-commerce-mustang

É o Mustang das plataformas. Robusta, confiável, rápida, fácil de usar, melhores integrações, comunidade tão grande quanto a do Woocommerce… Porém o custo é ALTO, apesar de valer a pena cada centavo pago.

Tenho duas experiências excelentes com a plataforma: uma vendendo produto sazonal com integração via PagSeguro, loja essa que fechei logo após a popularização do produto (e, por consequência, a baixa de preço final de venda na concorrência), e a outra em pleno vapor, uma loja vendendo apenas nos Estados Unidos, que me rende em dólar com integração via Paypal.

A experiência com Shopify foi e ainda é de longe a melhor que já tive das quatro plataformas que usei.

Explicando…

A integração com PagSeguro dela é parecida com a da Loja Integrada, via redirecionamento, não possui checkout transparente ainda, mas bem diferente da LI, a Shopify faz isso com maestria. O cliente digita seus dados de cobrança/entrega, clica em “Pagar com PagSeguro”, é redirecionado NA HORA, realiza o pagamento e NA HORA é redirecionado de volta para a sua loja Shopify, quando só então mostra a mensagem de “sucesso”. Também nunca tive problemas de pedidos desatualizados nesta integração, como aconteceu com a Box Loja.

Já a integração com Paypal é nativa, necessitando inclusive que seja desativada manualmente caso não deseje utilizá-la, caso contrário no checkout ficará disponível uma opção “Pagar com Paypal”. Esta integração com o Paypal funciona com redirecionamento, exatamente como a do PagSeguro que citei acima, e até hoje também nunca tive problemas.

A Shopify possui uma infinidade de temas e apps grátis e pagos (equivalentes aos temas e plug-ins do WordPress+Woocommerce), uma comunidade altamente engajada, integrações com centenas de outros serviços e um suporte impecável. Mas tudo isso se reflete no custo da plataforma, que cobra mensalidades em dólares (mesmo contratando no Brasil) e comissão percentual em cada venda realizada.

Para quem trabalha com dropshipping, a Shopify possui o app Oberlo gratuito, sendo possível importar produtos diretamente das plataformas dos fornecedores de forma rápida, fácil e gratuita.

Vale o investimento? COM CERTEZA! É para qualquer um? DEPENDE! A minha percepção de valor pode ser diferente da sua e, no fim das contas, é isso que importa, e não o preço da mensalidade de cada plataforma. Mas tenha em mente que começar seu e-commerce com a Shopify aumentará seu custo fixo mensal logo no início do negócio.

Conclusão

Não existe plataforma perfeita, assim como não existe estratégia perfeita, mídia perfeita ou tampouco produto perfeito. Existe sim a que melhor atende às necessidades do seu negócio.

Depois de muito peregrinar pesquisando, hoje entendo que a plataforma de e-commerce é apenas um meio, é apenas uma ferramenta. Portanto, não dê mais atenção do que o necessário nessa fase, terceirize o máximo que conseguir e o principal: conheça seu negócio com todas as suas necessidades, fortalezas e fraquezas e como aquela plataforma poderá te atender e em quais aspectos você terá que conviver com ela e contornar as situações do dia a dia.

Existem inúmeras outras plataformas no mercado que também são amadas e odiadas por muitos, como:

  • NuvemShop;
  • Magento;
  • X-Tech;
  • E-com.club;
  • Opencart;
  • Tray etc.

Não perca muito tempo nesta etapa do seu projeto e/ou do seu negócio, porque uma plataforma não te fará vender mais ou atrairá mais clientes. Invista seu precioso tempo na estratégia:

  • Identificando sua persona;
  • Pesquisando edefinindo seu público-alvo;
  • encontrando produtos e ofertas irresistíveis.

Quando você conseguir fazer o “match” de público com produto/oferta, venderá independentemente da plataforma ou mesmo até sem ela (também tenho uma experiência assim de “loja” apenas pelo WhatsApp e vendendo todos os dias).

Gostou desse conteúdo? Tem mais alguma dúvida sobre seu e-commerce? Deixe seu comentário, e eu responderei para você!

Se ainda tiver dúvidas para sua estratégia e quer vender mais, dá uma olhada em nosso material:

venda todos os dias ebook

Deixe um Comentário

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *